Balada: o mal necessário.

25 mar

Imagem

Nunca pensei que seria dessas, talvez por gostar tanto de filmes, seriados e livros, mas eu realmente gosto da balada. Gosto mesmo. Já há algum tempo e com bastante intensidade. Talvez esse gosto tenha desabrochado na época em que morei em Barcelona. Que a vida era uma balada diária. Ou talvez na época da faculdade. Não sei bem. O fato é que eu passei a gostar e frequentar muito. E faz parte da minha vida de alguma forma.

A dinâmica se repete muito, as histórias também, as pessoas então… Mas seguimos lá, firmes e fortes. Sexta-feira a tarde já começa a programação, daí a gente resolve o esquenta. Uma vez o irmão de uma das minhas amigas comentou que nossos esquentas são a coisa mais triste que ele já viu. Porque a gente bebe, fica sentada, conversa, fofoca e nem música tem. A gente nunca tinha reparado nisso, mas acho que nossos esquentas são assim meio baixo astral mesmo. Mas porque estamos lá meio que pra cumprir uma única função: beber. E tudo bem, a gente ama. Daí resolvemos ir pra balada. Primeiro perrengue, decidir se vamos de carro, quantos carros, quantos taxis, quem chama o taxi e por aí vai. Daí chegamos no local. Puta fila. Perrengue de novo. Mas a gente é tão descolada, amiga de Deus e mundo…não tem um esqueminha não? Nome na lista e tal?  “Oi sou amiga do dono, do Marcelinho (sempre tem um Marcelinho), rola entrar?” Nem sempre. Espera na fila.

Entramos. Fazemos aquele rolê de reconhecimento. Aquele bom e velho VSV – Ver e ser vista. E não importa o tamanho da balada, a gente anda como se ela tivesse muitos kms. E sempre acaba achando um local pra ficar, que sem querer vira o QG. E se qualquer uma se perder, ou se der bem e precisar avisar, é lá que a gente se encontra. E começa cada uma no seu melhor estilo. Uma dançando de um lado, a outra sensualizando do outro, a outra tendo uma DR com o ex, a outra sendo xavecada até pelo segurança, eu virando melhor amiga de todos os caras que pensam em me xavecar, uma se perdeu, outra já foi embora e por aí vai. Algumas optam pela carreira solo, e só nos encontramos no final da noite. Outras ficam grudadas pra tudo, e obviamente para ir ao banheiro 89 vezes se preciso.

Fazemos amigos pra vida inteira (e nem sabemos o nome deles no final da noite), fazemos melhores amigas no banheiro. BFFs. Conhecemos o grande amor da nossa vida, que nem sequer pega o nosso telefone. Dançamos e cantamos como se estivéssemos no show da Madonna. E quando tudo parece ter acabado e já é hora de ir pra casa… começa a segunda etapa.

New Dog as 5:30 da manhã. Aquele show de horror da madrugada. Que fique claro que é incrível em qualquer outra refeição e horário, sou fã. Mas na madruga… Aquilo é um zoológico, convenhamos. Só gente bêbada, uma pivetada falando alto e te fazendo se sentir uma idosa, um monte de biscate toda trabalhada num paetê duvidoso de algo que se confunde entre uma saia e um cinto, e umas pessoas que você não tem ideia da onde vieram e nem pra onde vão. O caos. E a comida então?  Poucas coisas podem fazer pior ou engordar mais que isso. Nada pode ser menos saudável que mandar um cheesecolesterol e uma coca a essa hora. Não só isso, né? Cebola, batata, é o show da fritura. E mesmo eu, que costumo ser natureba e chata pra comer, essa hora mando aquelas smiles pra dentro como se não houvesse amanhã.

Daí você chega em casa, mais pra lá do que pra cá e se sentindo obesa mórbida pelo que acabou de comer. Já está amanhecendo e não sei você, mas eu já cruzei (mais de uma vez!) minha família indo correr quando eu estava chegando com o rímel já no pescoço. Dá uma mega aflição ir dormir com o dia já claro, mas não tem saída. Você tá acabada. Daí tira a maquiagem que teima em não sair, vira um cimento de repente, e se troca, passa todos os cremes e pomadas e vai. Isso quando você tem paciência né?  Porque às vezes vai do jeito que está mesmo, maquiada e tudo.

E daí você dorme. E tem momentos de pânico durante a noite (manhã já né?!). Maldito energético. Pior combinação da galáxia. Vodka e energético = amnésia e taquicardia. Daí você acorda, e já perdeu metade do dia, e a primeira coisa que vem na cabeça: “Eu nunca mais vou beber. Agora é sério. Nunca mais”. Daí você olha seu celular, e já tem mil notificações e você pensa “Gente, essas minhas amigas não fazem outra coisa? Tão cedo já hablando sem parar?!” Mas daí você vê que não é nada cedo, já é meio da tarde e se admira que as pessoas lidam melhor com a ressaca que você. E você vai na cozinha e a única coisa que pensa em ingerir é coca zero. Muita coca zero. Porque todo o resto enjoa. E você passa o dia agonizando e se arrastando. E a ressaca que antes durava algumas horas, hoje em dia são dois dias. Quando não vira doença.

E você começa a ter flashes com uma mini vergonha do que aconteceu na noite anterior. E do quanto bebeu, e de como voltou pra casa, e com quem falou, o que falou. E se arrepende, e tenta formular um caminho do que pode ter acontecido, mas as coisas não se encaixam. E você desencana de tentar entender. E ao mesmo tempo que decide nunca mais fazer isso de novo, já está se programando para a próxima que é no próximo fim de semana. E assim vai, não adianta. Não adianta estar numa fase tranquila, estar namorando, quando você quer sair da balada, ela não sai de você. E aí? Qual a boa de sexta?

Anúncios

42 Respostas to “Balada: o mal necessário.”

  1. simonsamantha 25/03/2013 às 11:40 #

    ahahahahah! gabicita como vc é fun! como vc traduz muito do que a gente sente, mesmo nao colocando pra fora!
    mas te garanto que uma hora, a balada vai sair de voce, nesta intensidade de hoje… Eu era a baladeira mor, vc sabe…
    hahahahahha!
    Hoje eu pago pra ficar em casa! acredita?
    te adoro!
    beijos

    • Gabriela Marques 26/03/2013 às 17:18 #

      Oi Sa!!!
      Fico feliz em falar o que muita gente tenta e não consegue! Hahaha acho que é essa a graça do blog.
      Concordo com você… acho que uma hora a intensidade diminui, já sinto isso, mas sempre que vou me da uma sensação de “paatzz, I belong here!” hahahaha. Mas acho que isso passa mesmo.
      E tem vários dias que eu realmente abro mão de qualquer balada pra ficar de pijama, descabelada e vendo mil seriados!
      Te adoro também querida!
      Beijos

  2. Danielle Rohden 25/03/2013 às 11:45 #

    Exaaaatamente…já foi ressaca, hoje em dia caio de cama uns dois dias, tipo doente mesmo!! kkkkkkkkkkkk…ri muito!!

    Beijo ;)

    • Gabriela Marques 26/03/2013 às 17:19 #

      Oi Danielle;
      Ai que tristeza né? Será que é velhice isso? Deve ser né…
      Que tragédia! Hahaha.
      Mas vamos lá, superando a ressaca e doença! :)
      Beijos

  3. Fernanda S. 25/03/2013 às 11:45 #

    hahahhahahahha… amei a homenagem para o meu irmão….. lambro da cena como se fosse hoje…. ele estava inconformado com o nosso esquenta!!!!

    • Gabriela Marques 26/03/2013 às 17:20 #

      Hahahah exatamente. Não quis citar nome, mas é super ele e o esquenta que me referi foi na sua casa!
      Mas a gente aaaammaa mesmo assim!! :) Porque o esquenta é baixo astral mas a balada em si e o afterrr… super alto astral!! AAuuu!

  4. Gabi Zabo 25/03/2013 às 11:58 #

    Morri! Salvou a semana! Chorei com a parte do NewDog… Nao podia ser melhor!

    • Gabriela Marques 26/03/2013 às 17:21 #

      Hahaha thanks Gabinha! Vocês que ajudaram o post com nossa conversa de sábado! Ta tudo aí…
      E quanto ao New Dog, foi tão recente (sexta-feira!) essa experiência (inclusive com desconhecidos na mesa!) que não pude deixar de citar.
      Beijos

  5. Paula Kac 25/03/2013 às 12:45 #

    Eeee falamos desse tema no sábado!!

    Incrível como da pra reconhecer cada uma pela atuação na balada!

    Parabéns! Mais um texto fantástico!

    Bjs

    • Gabriela Marques 26/03/2013 às 17:23 #

      Siiimm!! Vocês (e todas as nossas baladas) foram minha inspiração.
      Realmente… estão bem definidos os papéis na balada. Esqueci de comentar aquele nosso de só ir embora quando acendem a luz! Hahaha.
      Beijos e obrigada amiga!

  6. Fatima Marques 25/03/2013 às 12:45 #

    Filha nesse novo texto, não tenho comentarios a fazer , pois como vc sabe, este assunto está completamente fora dos meus habitos de final de semana,kkkkkk….. e até me dá uma pontinha de inveja misturado com saudades….mas para mim, ja se passou muiiiiito tempo dessa mesma euforia q hoje vc sente nas sextas feiras, programando sua balada…..aproveite muiiito essa fase ( com moderação sempre, é claro ),ela passa mais depressa do que todos gostaríamos !!!!!! Mas posso assim mesmo dar meus parabéns pelo texto…..bjs da mama …..te amo

    • Gabriela Marques 26/03/2013 às 17:30 #

      Mamy;
      Não aguento como você é fofa.
      Sei bem que isso está beeeem longe do que você quer pro seu fim de semana, e também sei o quanto se preocupa quando chego muito tarde (ou cedo?!) mas sou muito feliz por você ser tão especial e confiar em mim.
      Pode deixar que aproveito muito essa fase (você sabe!) e vou aproveitar até onde puder,
      Te amo também. Beijos

  7. beatriz 25/03/2013 às 12:50 #

    perfeito!!!!!!! assim todo fim de semana!! e eu adoro, nao resisto

    • Gabriela Marques 26/03/2013 às 17:30 #

      Oi Beatriz.
      Obrigada! É dificil resistir mesmo né.. haha.
      Mas acho que uma hora deve cansar. Vamos ver.
      Beijos

  8. Mayra Pellegrini 25/03/2013 às 13:00 #

    “um monte de biscate toda trabalhada num paetê duvidoso de algo que se confunde entre uma saia e um cinto”
    “Maldito energético. Pior combinação da galáxia. Vodka e energético = amnésia e taquicardia.”
    hahahaahahahahaha
    Mais uma vez, muito bom Gá!!!! Quem nunca???!!!
    Parabéns pelo blog amiga!!
    bjos grandes

    • Gabriela Marques 26/03/2013 às 17:32 #

      Hehehehe thanks amiga!!!
      Quem nunca mesmo? AH, esqueci de comentar de nariz sangrando na balada… hahahaha isso é só você mesmo!!!
      Thanks pelos parabéns.
      Beijão

  9. Aline 25/03/2013 às 13:49 #

    Adorooooo o seu blog!!!!
    E odeiooooooo balada… TIVE que ir em uma nesse fds e a parte da ressaca eu me identifiquei mto. Cacete, eu bebi MENOS q todo mundo e qnd eu acordei, às 16h, todo mundo já tinha acordado, atualizado todos as redes sociais, almoçado e já estava no bar colocando as fofocas em dia… oi? e eu morri até as 22h. E a depressão que dá? ge-zuz

    • Gabriela Marques 26/03/2013 às 17:33 #

      Oi Aline;
      Que bom saber que gosta do blog! Obrigada!
      Quanto a ressaca… I know the feeling! Hahaha, mas temos que entender que tem gente que lida melhor mesmo. Ou então dorme em outras horas…hahaha.
      Da depre mesmo, mas vamos que vamos! Hehe.
      Beijos

  10. Sassá 25/03/2013 às 14:14 #

    Gaaabiii!!!
    Chorei aqui!!!
    “E a ressaca que antes durava algumas horas, hoje em dia são dois dias. Quando não vira doença.”
    Geniaa!!
    Bjsss

    • Gabriela Marques 26/03/2013 às 17:35 #

      Sassaricando meu amor!
      Que bom te ver por aqui.
      Ai que puxado essa ressaca quando vira doença né? Gripe, amigdalite, dores no corpo… Uufff.
      Thanks querida.
      Beijão

  11. Cláu Razzé 25/03/2013 às 14:47 #

    E a prova de que nada muda, que seu texto é REAL e que a balada não sai da gente é: a gente SE CASA e toda vez que inventa de ir pra balada… tudo se repete!!! PQP!!! Hahahaha texto TOP as always my love!

    • Gabriela Marques 26/03/2013 às 17:37 #

      Hahahahaha se nem casando para, ferrou mesmo!!!
      Você sabe desses perrengues de balada melhor que ninguem. E a gente acordando sua mãe de madrugada pra contar os bafas era impagável.
      Thanks my love :)

  12. Rafaela 25/03/2013 às 15:09 #

    Adoreei!!!! Parabens pelo texto!! É exatamente isso que se passa na balada!! Haha beijos!!

    • Gabriela Marques 26/03/2013 às 17:37 #

      Oi Rafaela, muito obrigada!!!
      Beijos

  13. Nitz 25/03/2013 às 15:34 #

    AInda bem q o new dog de sexta serviu pra alguma coisa?? hihihih

    • Gabriela Marques 26/03/2013 às 17:39 #

      Hahahahaha New Dog dessa sexta = maior inspiração pro post!!
      Só esqueci de mencionar que estávamos nele, as 6 da matina, com 2 DESCONHECIDOS na mesa, porque eles ENTRARAM no nosso carro e resolveram ir com a gente. Hahahaha.
      Sério… como pode?!?!
      É sempre incrivel amiga…
      Beijos

  14. Carol Fonseca 25/03/2013 às 17:05 #

    hahahahahhaha… chorando de rir!!!
    Pior q tem cada dia mais me sinto assim, acabaaaaada no dia seguinte.
    E essa coisa de cruzar com a família indo correr (estou indo pra esse lado – hj corro mais q saio de balada) hahahahahaha
    Muito bom!! Me divertir e me vi em várias situações rssss
    Bjs

    • Gabriela Marques 26/03/2013 às 17:40 #

      Oi Carol,
      Que delicia saber que se divertiu lendo!
      Eu tambem já tentei correr mais que balada, mas ultimamente ta dificil…hahaha.
      Obrigada pelo elogio. Volte sempre.
      Beijos

  15. Stu 26/03/2013 às 10:27 #

    Ga!!!!!!!! Ameiiiii o seu texto! Você registrou ai as nossas baladas como ninguem! Se superando cada vez mais! Amei me reconhecer o texto! Love you! Bjsss

    • Gabriela Marques 26/03/2013 às 17:41 #

      Thanks Stubilu!
      Realmente nossas baladas estão bem contadas aí…
      E você sim foi citada na sua carreira solo que eu não entendo! Hahahaha.
      Love you too meu amor.
      Beijos

  16. Camilla Nunes 26/03/2013 às 18:28 #

    Gabiiiii….sensacional!!! Estou AMANDOOOOO seus textosss…faltou falar na combinação balada + trabalho dia seguinte…é quase a morte do peãooo…rsrsrsrsr…saudades!! Bjsss linda!

    • Gabriela Marques 28/03/2013 às 14:37 #

      Obrigada Cacazinha!!
      Que bom te ver por aqui.
      Nossa, verdade, faltou essa fatídica saída de dia de semana que você passa o outro dia inteiro vegetando e disfarçando que está semi morta! hahaha
      Saudades também.
      Beijão

  17. Beatriz 27/03/2013 às 15:11 #

    Serio mesmo, esse seu blog é demais, tenta postar alguma coisa todo dia…fico aflita, entrando toda hora para ver se tem coisa nova…descobri seu blog atraves de um outro blog. Simplesmente você escreve de uma forma escrachada e muitoo divertido, coisas que acontece com TODO MUNDO! agora um tema que eu queria ver por aqui é sobre ex-namorado, e o quanto algumas mulheres são tapadas “tipo eu” e ainda fica alimentando sentimento inexistentes…Parabéns.

    • Gabriela Marques 28/03/2013 às 14:40 #

      Oi Beatriz, tudo bem?
      Que querida, super obrigada!
      Nossa, postar todo dia é impossível! Hahaha não tenho tempo nem tanto assunto pra isso! Mas adoraria…
      Mas vou mantendo toda segunda e quem sabe um dia aumento pra duas vezes por semana? Mas vou rpecisar da ajuda para os temas!
      Pode deixar que vou escrever sobre ex-namorado. É um excelente tema e já me pediram mesmo!
      Beijão

  18. Amanda Tanajura 28/03/2013 às 11:25 #

    Conheci o Blog esses dias, por indicação de um amigo, li todos os posts e supeer me identifiquei com seus textos, muito EU em várias situações!rs
    Parabéns mesmo!
    E agora vou ficar na expectativa de novos textos a cada semana…bem que podia aumentar a frequência com que atualiza aqui né! rs

    • Gabriela Marques 28/03/2013 às 14:41 #

      Oi Amanda, tudo bem?
      Que delicia de comentário, muito obrigada!
      Aiii eu vou tentar aumentar a frequência, mas um por semana já está me dando um super trabalho!!
      Quem sabe um dia? hehehe.
      Obrigada pelo carinho.
      Beijos

  19. Bia 06/04/2013 às 07:57 #

    Olá, Gabriela!!

    Na boa, MEUS PARABÉNS sua criatividade é demais!
    Você descreveu nos minimos detalhes tudo que acontece, antes, durante e pós uma balada perfeitamente!!
    É a primeira vez que visito seu blog, e ja adorei!!

    Beeijos linda (:

    • Gabriela Marques 06/04/2013 às 20:05 #

      Oi Bia, tudo bem?
      Muito obrigada pelos parabéns! É muito gostoso saber que as pessoas se identificam e gostam dos textos. Fico muito feliz!
      Espero que goste dos outros posts também!
      Beijo grande

  20. Dominique 01/07/2013 às 23:58 #

    Ri muito! É exatamente isso que se passa…

    Pior é quando a gente se acostuma a ir ao mesmo lugar quase todos os finais de semana. Vira zona de conforto. Você conhece todo mundo, todo mundo conhece você – e ninguém sabe de nada ao certo, rs….

    Os seguranças já conhecem até o perfume que você usa e, quando você chega no bar, já tem uma cerveja em cima do balcão, da marca que você costuma beber, porque o bartender viu você primeiro antes de você ter visto qualquer coisa…

    É terminar de tocar uma música e você, não raro, já sabe qual será a próxima…

    No final você jura que não vai mais àquele lugar, porém a semana passa e lá está você de novo… Na esperança de que “desta vez, vai ser diferente”… e sempre acaba tudo igual.

    Mas que é divertido é, não é?

    Ê balada, kkk… Ela não sai da gente, mas a gente também não sai dela.

    Dance, while the music still goes on!

  21. Luxor 04/07/2014 às 23:38 #

    Na verdade, deve ser divertido, mas assim como todas as coisas, virar dependência ou vício, se torna decadente. Tenho uma amiga que frequenta 4 vezes por semana; ela gosta de dançar, e curtir a balada; mas ao final nunca encontra o que de certo ela busca. Cada semana encontra um namorado pra valer, e assim vai nunca valem, e continua para outra balada. Mas as amigas delas vêem isso legal. Assim passam os anos e a historia sempre é a mesma. Eu também curto, mas não ao ponto de estar esperando a próxima.
    Não sei se alguém daqui no fórum, passa por isso, e ao tempo se lamentou de ter perdido seu tempo. A pesar que a gente não perde tempo pois a diversão é uma coisa legal, mas creio que o exagero faz com que não se conheça outras alternativas. Bjs a tds

    • Gabriela Marques 14/07/2014 às 14:50 #

      Olá, tudo bem?
      Acho que nada em exagero é bom, no caso da balada tampouco.
      Também acho que são fases. Na época que escrevi esse texto eu era muito mais ativa na balada do que hoje em dia por exemplo.
      Acho que é questão de se adequar ao seu momento de vida.
      Beijos

Trackbacks/Pingbacks

  1. Lunna Lounge – Orlândia – Vida Noturna, Casa de shows 30/08/2014 | Guia Mais Serviços - 31/08/2014

    […] Balada: o mal necessário. […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: