O drama do segundo date.

6 maio

Imagem

 

Estive pensando e acho que fui um pouco injusta com tanta pressão no primeiro date. Me lembrei que o segundo pode ser tão dramático quanto. Ou às vezes pior dependendo do ponto de vista. A dinâmica da tensão é a mesma. Fica aquela expectativa de quando ele vai procurar e fazer uma nova proposta. Ou se ele nunca vai procurar e você só confirma que o primeiro date foi um tremendo desastre, ou se ele vai procurar só fazendo pesquisa de mercado tipo “o que você vai fazer hoje?” e você responde e ele diz “ah ta”. Pesquisa de mercado.

Mas ele procura, e sugere um novo programa. Yay!! Nada de japonês hein? Não vai errar de novo. Dessa vez ele sugere um cinema seguido de um barzinho. Ok, mandou bem. Daí você se troca mas não tão desesperada com o look dessa vez porque se ele está chamando de novo é sinal que gostou da primeira vez né? E a não ser que você tenha inflado 4 kgs na última semana você deve estar praticamente igual ao primeiro dia. Fora a espinha na ponta do nariz que sempre aparece nessas horas. Ele vem te buscar em casa e dessa vez você não corre o risco de entrar no carro errado afinal já sabe o carro dele. Uff. Olhadinha pro porteiro de novo e ele com cara de “Opa, segunda vez?! Vamo time!” e você entra no carro. Tensão. Beijo no rosto ou selinho? Ah, no rosto né? Putz… Mas há alguns dias atrás você estava ali nesse mesmo carro se atracando com ele e agora dá beijo no rosto? Ah, mas selinho é meio de namorado né? Pode se sentir pressionado. Sabe como é…Homem hoje em dia você fala escapamento e ele entende casamento e sai correndo. Bom, beijo meio na trave e um abracinho. Pronto. Daí conversam amenidades novamente e de forma mais descontraída chegam ao cinema.

Ele pede pra você guardar a chave e a carteira na bolsa, bem estilo namoradinho e vocês vão de mãos dadas ao cinema. Um casal qualquer pra qualquer um que passa por ali. E se ele for espertinho já comprou os ingressos pelo ingresso.com e só precisam se preocupar com a pipoca. Mas se ele não for, pega a fila infernal enquanto decidem o filme. Ele sugere pipoca, mas você faz a light e diz que só quer água. Baixo astral ficar toda suja de manteiga e com milho no dente até o outro dia né? Daí vocês ficam de mãos dadas durante o filme, carinho aqui, carinho ali. Sei lá, eu particularmente passei da fase dos amassos no cinema. Fazia isso quando o cinema com carteirinha ainda era barato e a McOferta era R$ 4,99. E outra, sou super cinéfila, tô lá pra assistir o filme, veeeer de verdade, não importa qual seja. Se estamos assistindo Mogli – O menino lobo, eu quero ver ué. Me deixa. Mas estamos num date né, tem que rolar uns beijos. Daí rola o beijo. Aquele gosto esquisito de luva de goleiro, afinal estavam sem falar, sem beber água ou sem abrir a boca há 40 minutos. Weird. Termina o filme e basicamente se fala sobre o filme ou tal cena genial dele. Ok, está tudo indo bem. Vamos ao bar.

Ele já meio que sabe do drink que você gosta então já pede. Segundo date né gente? Já rola uma intimidade melhor. O papo flui mais rápido. Nem sempre. É um território perigoso a se percorrer. Por exemplo, vocês falam de família e ele cita alguma coisa da irmã ou da mãe. E lança um “quando você conhecê-la vai entender”. Dois pensamentos podem surgir na sua mente. 1. Se você está odiando o date: Fudeu, esse cara quer namorar comigo e eu sequer quero vê-lo outra vez. 2. Se você está amando o date: Awwhnn, já tô amando a família sem nem conhecer. Hoje é quinta e ele lança de fazer alguma na sexta ou no sábado. Dois pensamentos again. 1. Nossa amigo, vamos com calma, amanhã é dia das minhas amigas, já combinei algo. 2. Date na sexta? No prime time da Warner? Vai garota, traz o ouro!!! Tudo depende muito do quanto se está ou não gostando de tudo aquilo. Pode ser perigoso porque pode dar margem a qualquer um dos dois de um possível futuro de algo que mal começou. Mas pra não ter erro… o esquema é falar de trabalho, hobbies, bandas e programas que gostam. Ou então ficar lembrando de coisas que aconteceram nas vezes que se viram (nas muitas duas vezes provavelmente). Ficar relembrando incansavelmente algumas cenas como se fosse há anos atrás “Nossa, lembra disso? Foi hilário”. Ou fiquem falando da tal pessoa em comum e comentando o quão legal e divertida ela é. Afinal, são os únicos elos que os unem.

Papo vai, papo vem, já estão bêbados e resolvem ir embora. Ele entra na marginal pinheiros, naquele sentido que todos nós sabemos onde vai dar. Bé bé bé, alarme de incêndio! Ele tá indo pro Asturias! Ferrou! Dai você solta “oi, é que minha casa é pro outro lado” e ele solta algo de ficarem juntos, dormirem juntos, se conhecerem melhor… qualquer groselha dessas. Alguns pensamentos podem vir a sua mente: 1. Ai cacete, não to depilada! 2. Qual a chance de rolar sexo? Eu odiei esse segundo date! 3. Ih querido, lembra da regra do primeiro date? Então, o segundo é igual, e assim vai por alguns… nada de sexo por enquanto. 4. Ah, mas eu quero namorar com ele, se rolar agora vai parecer que sou muito fácil. 5. Vai garota! Vai com tudo e amanhã pensa. De qualquer forma, e em qualquer pensamento que vier, você faz aquele charminho e ele insiste todo fofura de Oliveira. Mas no fundo tá pensando “Putz lá vem ela de novo. Libera essa mixaria aí meu, ta pensando que é o que? A princesa Kate?” Bom, e aí dependendo de como você for, do seu desprendimento e do seu jeito, você decide o que fazer. Mas saiba que essa decisão vai influenciar em todo o resto. Num possível terceiro date ou não. E quarto e quinto e por que não algo mais sério?

E assim o segundo date termina. Aquela sensação estranha porque não é mais novidade mas ao mesmo tempo não há nada seguro. Rola mais intimidade, mas também nem é tanta assim. Fica aquela tensão se vai ter próximo, se já enjoou, se era só isso ou se era muito isso e só melhora. E você faz um milhão de planos pro futuro se você amou aquilo. E também elabora as melhores desculpas do Brasil pros próximos convites caso tenha odiado os 2 primeiros encontros. Mas tudo isso se resume na fatídica frase, a mesma que apareceu no primeiro date, aquela que eles insistem em usar e a gente não sabe lidar, o bom e velho “então tá, a gente se fala”. Então tá… aguardamos as cenas dos próximo capítulos.

Anúncios

16 Respostas to “O drama do segundo date.”

  1. Guga 06/05/2013 às 11:16 #

    Vivendo o momento…. #amei

    • Gabriela Marques 14/05/2013 às 14:24 #

      Hahahahah isso é o melhor de tudo.
      #amoqueridinho

  2. Rafaela 06/05/2013 às 17:15 #

    Ameeii!!!!!! Fico esperando as segundas para ler os posts!! rsrs Beeijos

    • Gabriela Marques 14/05/2013 às 14:29 #

      Oi Rafaela!
      Que bom! :)
      Adorei saber que fica esperando. Desculpe que te desapontei essa segunda, hehe. Na próxima eu recompenso.
      Beijos

  3. RoNie 06/05/2013 às 20:46 #

    Definitivamente anima minhas 2as feiras Gabi!
    E um post sobre a maldita 2a feira! Vem?

    Bjssss

    • Gabriela Marques 14/05/2013 às 14:30 #

      Oi Ro!
      Hahaha que querida. Obrigada!
      Acho que um post da segunda-feira vem sim em breve!
      Inclusive essa última segunda foi tão ruim que nem post teve :(
      Beijão

  4. VICKY 07/05/2013 às 00:20 #

    GAA!!!! morrri de rirr (tipo em voz alta), beijo com gosto de luva foi a melhor!
    AMOOO! bjsss

    • Gabriela Marques 14/05/2013 às 14:31 #

      Viii!!
      Hahaha queria ter te visto rindo alto!
      O gosto de luva tem uma outra definição, depois te conto! Hahaha.
      Amo você. Beijos

  5. Mario Mendes 07/05/2013 às 11:21 #

    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA, sério! Por um mundo onde a gente pule a fase dos dates! Pior é que, se fosse eu escrevendo esses textos, ainda teria tombos e camisa suja de algum líquido consumido na noite!

    • Gabriela Marques 14/05/2013 às 14:32 #

      Por favor gente!! Por favor Deus!!
      Vamos pular tudo isso e ja passar o segundo reveillon juntos e já conhecendo a família e tudo mais…
      Hahahahaha tem essa questão dos tombos, é meio que a minha cara também! Haha.
      Beijos

  6. rodrigohaddad 20/05/2013 às 23:47 #

    hahaha, adorei o “gosto de luva de goleiro” (nunca tinha feito essa associação) e o “porteiro que apoia”.

    P.S.: Sou amigo da Dani Adoni

    • Gabriela Marques 23/05/2013 às 11:06 #

      Oi Rodrigo!
      hahahaha demorei um tempo com as minhas amigas pra chegarmos a essa conclusão! Mas nao vejo outra denominação!
      Volte sempre aqui no blog.
      Beijos

  7. Roberta 09/08/2013 às 18:14 #

    Gáááá !!!! chorei de irir !!!! mto bom !
    saudades de vc e adorei te encontrar hoje ! bjoooo

    • Gabriela Marques 15/08/2013 às 10:46 #

      Robbee!!
      Querida, amei te ver também! Muita saudade.
      Que bom que gostou do texto.
      beijo enorme

  8. Mariana Lourenço 12/01/2014 às 01:52 #

    Hahahahahaha eu amei esse texto. Dei risada da primeira a última linha! Genial!

    • Gabriela Marques 15/01/2014 às 13:48 #

      Oi Mariana;
      Muito obrigada!! Volte sempre aqui no blog.
      Beijo grande

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: