Archive | setembro, 2013

24 coisas que solteiras estão cansadas de ouvir.

30 set

                                                    Imagem

Eu adoro listas. Sempre gostei. E sou apaixonada por esses sites e blogs que fazem listas pra tudo. Dos assuntos mais infames aos mais incríveis, lá estão as listas tão divertidas. Recentemente eu vi uma que me chamou muito a atenção: “24 things single people are tired of hearing.” (24 coisas que pessoas solteiras estão cansadas de ouvir). Primeiro por ser uma lista já engraçada por si só, depois porque sendo objeto de estudo dessa lista, eu particularmente já ouvi todas as coisas citadas ali. Daí quando dividi a lista com algumas amigas (solteiras, namorando e casadas), todas tiveram a mesma reação. As respostas eram do tipo, “ai que preguiça, é bem isso mesmo”.

Divido então aqui as minhas impressões sobre cada colocação que as pessoas estão exaustas de ouvir, e se você ainda fala algumas delas, repense, por gentileza.

1-    Como você está solteira? Você é tão incrível!

Pois é, sabe que me pergunto a mesma coisa todos os dias? E como você que é esse exu, ta aí, toda namorando e apaixonada?!

2-    Vai acontecer quando você menos esperar.

Mas assim, num raio de período de 1 a 10 anos, quando exatamente é sua previsão para essa data que eu menos espero?

3-    Você não se sente sozinha?

Não, tenho vida, amigos, família, trabalho. Não vivo numa ilha deserta. E você? Se sente, mesmo casada?

4-    Você não está preocupada com o fato de não poder ter crianças?

Moço, eu não tenho nem 30 anos ainda! Não é que tô com 60 ou já nas últimas, pera lá.

5-    Tá saindo com alguém?

Tô, mas não deve dar em nada. Se der, te aviso pelas redes sociais. Beijos.

6-    Você devia tentar namorar online. Minha amiga conheceu o marido assim.

Que bom que você me avisou que foi assim, pra eu nunca ter esse desprazer de conhecer alguém dessa maneira.

7-    Eles não te merecem.

Mas o que especificamente você quer dizer com isso? Eu devo tipo…me matar ou virar lésbica?

8-    Você é um partidão.

OBRIGADA! Com você somos 3 que achamos isso. Eu, você e minha mãe.

9-    Não se preocupe, você vai achar alguém algum dia.

Mas as Olimpíadas de Tóquio já vão ter acontecido, ou nem?

10-  Ele não está preparado para um relacionamento sério ainda.

Comigo você quer dizer né? Porque ouvi dizer que ele tá namorando.

11-  Um dia, quando você estiver casada, vai desejar estar solteira.

Poxa colega, tá feia a coisa assim? Quer se separar já? Senta aqui, vamos conversar.

12-  Tem muito peixe nesse mar.

É, só que anda faltando salmão nesse mar de sardinhas.

13-  Você é muito exigente.

E você uma otária de supor o contrário. Pra que eu vou estar com um qualquer só pelo fato de estar com alguém? Cada uma viu…

14-  Só não se torne aquelas velhas loucas com gatos.

Eu odeio gatos. Isso não vai acontecer, mas obrigada pela dica.

15-  Ele provavelmente perdeu seu número.

Isso, ou o cachorro comeu a lição de casa dele, ou ele simplesmente não quis ligar, que tal?

16-  Num casamento: “É melhor você ir correndo lá, ela vai jogar o bouquet”.

Obrigada por avisar, não reparei que “single ladies” estava tocando e as mulheres estão correndo alucinadas. Vou ao banheiro, já volto.

17-  Você está muito ocupada agora.

E o que isso tem a ver? De verdade!

18-  Você tem que amar a si mesma antes de amar alguém.

Eu já me amo bastante, mais que isso já é loucura. Já posso amar alguém, tô bem.

19-  Se referindo ao seu melhor amigo: “Vocês já pensaram em namorar?”

Nossa, que puta boa ideia! Nunca pensamos nisso nos nossos 20 anos de amizade, você realmente deve ser algum profeta. Parabéns.

20-  Mal posso esperar pra conhecer seu futuro marido. Ele será tão incrível.

Somos duas então, queridinha.

21-  Nós vamos estar rindo disso tudo um dia.

Não tenho dúvidas disso. Mas riremos acompanhadas, não é mesmo?

22-  Você deveria me deixar te agitar pra alguém. Eu sei de uma pessoa perfeita.

Como não pensei nisso antes? É claro que se eu sozinha não encontro alguém, você, que mal sabe meu nome vai saber alguém perfeito para preencher a vaga!

23-  Não desista. Vai acontecer com você.

ZZZZZZZZZzzzzzZZZzzzzzZZZZzzzzz. Ops, desculpe, cochilei, o que você disse?

24-  Você não precisa de ninguém.

Ah ta, entendi. Fico feliz que você me deseja o bem e somente o bem.

Enfim…

Não deixe de ver a lista com os gifs pois eles retratam bem as reações com cada uma das frases: http://www.buzzfeed.com/ashleyperez/24-things-single-people-are-tired-of-hearing

Carta para o futuro.

16 set

                         Imagem

Esses dias estava arrumando umas coisas (tarefa favorita da minha vida de neurótica por organização), e encontrei umas coisas engraçadas. Cartas das minhas amigas de infância (as mesmas de hoje by the way), que eram enoooormes, cheias de recortes, adesivos, cheias de elogios e de falta de assunto. Não entendo como tínhamos tanto assunto para cartas tão longas sendo que a única coisa que tínhamos pra fazer no dia era ir ao ballet, fazer lição de casa, e gostar do Pedrinho da 5ª B. Mas as cartas eram bem extensas, uma loucura. Aliás, eu achei cartas que estavam totalmente em códigos ridículos, e eu não sei onde está o significado de cada letra então passarei o resto da vida sem saber o que eram.

Encontrei também listas. Eu já era freak das listas desde criança, veja só. Lista de coisas que devia fazer, lista de coisas que deveria mudar, de coisas que devia comprar, lista de controle de peso (nota-se que também já era neurótica com isso desde bem jovem). Achei até lista de caras que já fiquei. Essa era muito boa, ao lado tinha da onde conhecia o cidadão e a quantidade de vezes que já tinha ficado com ele. Ao lado também tinham corações que suponho que vários era que era muito bom e poucos era ruim. A lista parou no meu primeiro namorado (que tinha 3 linhas de coração) e suponho que achei que não precisaria mais continuar a lista pois ficaria com ele para todo o sempre. Aham.

Achei os diários também. Chamavam agenda na minha época. Isso é muito genial, eu preciso guardar isso pra eternidade, juro. Dá tanta vergonha. Da letra, dos assuntos, das gírias, das besteiras que fazia. Fora que minhas agendas tinham nomes. Uma delas era Kelly Tyler. Kelly pelo Kelly Slater, e Tyler pelo Steven Tyler. Oi? Por que eu me achava malaca? Um dia eu peguei alguma besteira do tipo “Oi Kelly, o Dudu R anda muito chato comigo, não sei por que. Ele passou a brincadeira inteira sem andar comigo de mãos dadas. Estamos brigados. Será que devo falar com ele?”  What  the hell? Disso eu pude concluir duas coisas: uma que eu não tinha problemas e criava algum só pelo esporte, e outro que eu e o Dudu brigávamos muito desde crianças. Mas acho que de uns 7 anos pra cá isso mudou. Deve ser porque a gente cresceu.

Ah! Eu achei o primeiro dia que fui ver um jogo do Lakers! 19 de janeiro de 2000. E assim nasceu o meu eterno amor pelo time. Foi muito “cool” pelo que eu disse ali e eu tinha muitas gírias legais pelo visto. Achei também a data do meu primeiro beijo. 14 de agosto de 1997 assistindo Independence Day no cinema. Acho que por causa do filme eu fui amaldiçoada com tantas desilusões amorosas. Tava aqui pensando comigo.  Eu disse que o beijo tinha um vácuo estranho e gosto de Danoninho. Seja lá o que isso quer dizer. Achei também que dia 24 de março de 2001 fomos na Infinity (balada irada da época) e foi “muito show”. E o Ma quis ficar comigo mas eu tava muito confusa por causa do Fe (não tenho ideia quem sejam essas pessoas), e acabei indo embora de carona com o Rafa e as meninas (quem??) porque ele tinha carro e aparentemente isso era muito evoluído e interessante pra época.

De tudo que encontrei e li o mais brilhante foi uma carta para o futuro. Eu já era bem escritora prodígio quando criança/adolescente e escrevia muitas cartas sem destinatário. Suponho que era eu conversando com a minha própria mente, mas achei uma que o destinatário era o futuro. Ela começava assim “Querido futuro, eu espero que você tenha sido bom pra mim como eu imaginei e espero que eu tenha realizado meus sonhos e que você tenha feito deles o melhor que podiam ser. Eu espero estar linda e bem magra. Com o cabelo bem longo. Espero ter mais de um cachorro em casa. Estar casada com um homem lindo, trabalhador, mais alto que eu e que trate nossos filhos muito bem. Nossos filhos, Alan e Stephanie serão muito inteligentes e esportistas e nós viveremos numa casa e não num apartamento. Todas as minhas amigas vão morar no mesmo bairro com suas famílias e nossas casas serão como as americanas com uma cesta de basquete do lado de fora. Nessa época, a cura das doenças ruins já terão sido descobertas e ninguém mais morrerá delas.”

A carta dizia coisas lindas, algumas sem sentido algum e outras bem maduras para uma criança pensar. E a carta terminava assim “Assim espero e acho que mereço tudo isso, você não acha? Beijos Gaby (e uma estrelinha ao lado)”.

Olha, eu acho que mereço tudo isso aí viu e achei tudo ali bastante interessante. Só me resta agora entender de quando é essa carta e quantos anos pra frente é esse futuro que eu me referi, porque dando uma olhada rápida aqui ao redor… não aconteceu nada disso aí ainda não. Mas vai acontecer né, eu mereço tudo isso, você não acha, seu futuro? Beijos Gaby*

As funças dos 20 e muitos.

2 set

Imagem

Eu já comentei anteriormente que um belo dia eu acordei assim, meio velha. Já disse que não sei o que aconteceu mas o fato é que (sei lá como), aqui estou eu. Nos 20 e muitos anos. Beirando os 30. E o que vem com isso? Maturidade, experiência, memórias. Aham. Tudo isso. Mas vem também um monte de coisa chata. Responsabilidade, rugas, flacidez, falta de paciência, pressão e funções, muitas funções. Senhoooorr quantas funças!

Já mencionei anteriormente também o fato de ter muitos casamentos ultimamente. Foram 17 esse ano. Esse mês de agosto por exemplo, foram quase todos os finais de semana. E quando não tem casamento você pensa que está livre, que vai descansar, que vai pra praia, que vai ler, se cuidar, mas sabe o que acontece? Tem funça. Tem aniversário, tem encontrinho, tem happy hour, tem chá de cozinha, chá de lingerie, chá de bebê, chabar, chá de camomila, chá de cadeira. Tem despedida de solteira, happy hour de noivado, comemoração do noivado, o noivado de fato, a despedida 1, a 2, a última. Tem o casamento civil, a festa de casamento, o casamento pra família. Para os judeus… tem o ofrif, tem a mikve, tem o brit mila.  Daí tem a comemoração da gravidez, a visita na maternidade, a visita em casa, e depois os aniversários das criaturinhas. É função sem fim. É só o que eu faço da minha vida de uns tempos pra cá. Amigas e amigos, que fique claro, eu amo vocês, amo festejar, e amo mais ainda cada conquista de vocês. Quero vocês comigo em todas essas minhas fases também… mas nossa como é puxado.

Meninas, let’s be honest. Cha de cozinha é chato bagarai. No fundo no fundo, ninguém tem a menor paciência mas todo mundo faz pelos presentes (que sinceramente nem saberíamos comprar sozinhas!) e por ser mais um motivo pra reunir as amigas. Mas convenhamos, pegar um monte de pacote embalado pra presente e descobrir que ali dentro tem uma escumadeira (palavra que aprendi recentemente num chá), não é de fato a coisa mais divertida do mundo. E ninguém em sã consciência consegue descobrir nada porque essas coisas de cozinha não são nada intuitivas. E a coitada da noiva tem que beber como se não houvesse amanhã porque erra tudo. E ela obviamente fica muito mais bêbada que qualquer convidada e normalmente faz papelão depois de um tempo. No final as melhores amigas e madrinhas se empenham por meses em trocas de e-mails intermináveis, e divisões de funções (das mais injustas), e nunca dá tempo de fazer as brincadeiras, ou acaba se perdendo porque as pessoas ficam conversando e desencanam do programado. Porque o que importa ali é o social afinal de contas.

O que quero dizer basicamente, é que não só acordei velha, como acordei numa fase que tenho função todo fim de semana e não vejo um fim muito próximo pra isso. Que eu faço?
Sento e choro? Me mudo de país? Cancelo minhas amizades por um período sabático? Vocês, pessoinhas que se identificam com essa situação, como lidar?

Bom, acho que sinceramente não tem muita saída. E minha mãe já me ensinou que em nem tudo que sou convidada preciso ir, que as vezes as pessoas chamam só por educação. Mas eu vou sabe. Eu tenho apego. Não consigo perder um programa. Acredito que isso seja uma fase e deve passar. Mas não agora, nem tão cedo. Porque esse fim de semana minha melhor amiga ficou noiva (yay!) e lá vem funça pela frente. (Fefi, as suas funças eu faço com o maior prazer e amor tá?! Não vou falar disso porque já começo a chorar… <3)