Archive | outubro, 2013

Intimidade é uma merda.

21 out

                                                     Imagem

 

E é mesmo. Já dizia um grande amigo meu: Dê dinheiro a uma pessoa, mas não dê intimidade. Sábias palavras. Porque quando se tem intimidade demais, tudo muda, tudo se potencializa, parece uma outra relação, um mundo paralelo, é tão curioso.

Eu particularmente me torno íntima das pessoas bem rápido. Acho que por não ser nada tímida e por falar umas besteiras logo de cara, rola uma identificação, uma empatia e daí é um pulo pra intimidade. Minhas amigas vivem reclamando disso, eu mal conheço uma pessoa e já tô lá, íntima de Oliveira. Conheço um cara legal, um futuro prospect e quando elas veem estamos melhores amigos, já dando tapa um no outro. Conheço a namorada do meu ex e quando devia odiá-la, já estamos best friends conversando há horas. Sei lá, eu sou dessas, não tem muita explicação. Eu tenho a maior facilidade em dizer pra uma amiga que ela está chata, pesando na de alguém, ou que ela está exagerando na autoestima. Tenho abertura pra falar sobre assuntos delicados e sobre os mais íntimos medos das pessoas. Isso é liberdade, isso é conhecer a pessoa muito bem, isso é intimidade.

Mas existe uma intimidade que me assombra. A intimidade de casais. Acho que meu maior medo em todos os meus relacionamentos foi o de exagerar na intimidade, o de perder o encanto depois de anos. Não porque eu me liberte tanto assim, e seja dessas de arrotar na cara do namorado, isso jamais. Mas tenho medo pelo que eu vejo por aí. Dependendo do grau de intimidade, tem mulheres que param de se cuidar, que atrasam a depilação, param de usar brinco (juro que ouvi uma história dessas!), deixam de se maquiar. Tem caras que não usam mais perfume, deixam a barba daquele jeito esquisito, vão ao banheiro de porta aberta (isso me mata do coração) e por não se cuidarem acabam indiretamente pedindo para que a mulher também deixe de se cuidar. Isso me assusta porque eu não consigo ver como um amor (por maior e mais profundo que seja), suporte isso.

Amor, na minha opinião, antes de qualquer coisa é respeito e admiração e eu juro que se a intimidade for tão fora do normal minha admiração vai diminuir pelo dito cujo. É natural. Não porque eu sou louca, mas pelo simples fato do mistério acabar, da surpresa desaparecer, de surpreender não ser mais tão comum. É diferente você se arrumar para uma superfesta no mesmo banheiro que seu parceiro de você aparecer simplesmente deslumbrante e pronta. É obvio que você não vai acordar penteada e de rímel, mas a depilação em dia, unha feita é tipo o mínimo né? Fazendo aqui uma metáfora bem óbvia, pra se ter uma planta linda é preciso antes de qualquer coisa cuidar da semente (que é o início de qualquer coisa) e daí passar a regar sempre para manter a beleza dela. Isso é a manutenção.

Algumas intimidades me assombram tanto que tenho medo de casar. De verdade! Confesso, deve ser o máximo transar terça de manhã e tal. Mas e acordar todo santo dia toda amassada, com cabelo de louca e cara lavada? Não pode ser muito animador isso pro moçoilo né? Fora ir dormir… como faz? Eu durmo toda errada, com pijama cafona, de coque, bepantol na boca, creme fedido no rosto e nebacetin onde dá, porque tudo na minha mente se cura com nebacetin, não? Eu praticamente grudo na cama de tanta nhaca, não deve ser legal dormir comigo.

Não tenho a menor dúvida que intimidade e familiaridade acabam por trazer segurança, mas acho que ao mesmo tempo descarta o entusiasmo e a emoção do inesperado. Alguns casais ou até amigos, que já se relacionam há muitos anos têm tendência a dar muito valor para o que sabem um do outro. E eu acho isso de verdade fascinante. A gente até faz previsão do que a outra pessoa vai pensar ou fazer, a gente adivinha o que está por vir, justamente por conhecê-la tão bem. Mas quando se trata de casais, acho uma área delicada a da intimidade. Eu acredito muito que o romance o erotismo gostam do mistério, do imprevisível, da surpresa. Seria quase impossível desejar algo já tão previsível, não é? Acredito que o grande trunfo para que o desejo não diminua ou termine, é o mistério, não tem jeito. É a novidade, a insegurança boa, a incerteza e até o medo. Então o que prego e espero pra todos nós é: Mais amor por favor e menos intimidade por gentileza. E sem xixi de porta aberta, pelo amor.

Diálogo de uma quarta-feira normal.

8 out

Imagem

Eu tenho amigas que são tão retardadas quanto eu. E eu amo. São tipo alma gêmea. Pra se ter uma ideia, aqui vai uma conversa minha com uma amiga, numa quarta-feira qualquer. No gtalk. (Obviamente, os nomes das participantes da conversa foram modificados (o meu inclusive). Bem como os envolvidos nela. Pra evitar a fadiga, e os problemas futuros).

Roberta: Friiend.

Joana: Ooi

Roberta:  Oiiiii, tudo bonis?

Joana:  Sim, e vc?

Roberta:  Também, conversa comigo. Tô tensa com meu date de hoje.

Joana:  Aaaai que incriveell. Aonde vocês vão?

Roberta: Não sei! Ele nao me disse… vai ser surpresa. Tô namorando acho (aquelas!)

Joana: Ah que belezinha! Eu tenho um date bacana hoje também. To ansiosa!

Roberta:  Oppaaa, conta prazamigue!!!

Joana: O amigo do Thi que conheci no bar. Bem sensual. Um morenão, carioca, alto bem divertido. Conheci quando fui ver o Thi no bar, aquele dia, lembra?

Roberta:  Ah que booom culega!!!!!!!!!!!!!!!!!! Me acuerdo desse dia.

Joana: Daí eu pedi autorização pro Thi – que me foi concedida – para flertar hahaaha.

Roberta: Hahahahahaha bárbaro. Mais que bárbaro! E você flertou ao vivo ou nas redes sociais?

Joana: Ambos hahahaha.

Roberta: Cara, você é fera. Tudo o que eu mando mal, você arrasa.

Joana: Mas flertamos na rede social facebook e hoje vamos sassaricar. O Rafa já me deu feedback que a roupa que escolhi tá pouco sexy. Ele é dureza. Aliás, você já sabe que roupa vai hoje? Isso é o que realmente importa dessa conversa.

Roberta: Então, o look eu tinha planejado bem. Era uma saia e tal, mas tá um puta fredo né?

Joana: Uai, coloca uma meia. Simples.

Roberta: Daí ele disse que queria que fosse direto do trabalho pra não ficar tão tarde, então eu já vim arrumadinha e no armoço fui secar meu cabelo! To gata friend. Estou com aquela minha calça vermelha estampada sabe? Que comprei em NY e uma blusa preta!

Joana:  Ah sei! Gosto!

Roberta: Eeiiii, just realized! Ambas sairemos com cariocaaasss hoje, ;ó que bárbaro!!

Joana: Ahahahah!! Eu amo cariocas. Cariocas homens. Mulheres odeio.

Roberta:  Exato, mulher = biscate (ta, inventei, é que elas têm todas seus corpos escultarais e irrita!). Homem = folgado com pegada e putão. E cariocas em geral se acham seres superiores de outro planeta, já notou? Eu tenho certeza que eles acham que uma nave especial deixou eles aqui em plena cidade maravilhosa para serem assim, apenas melhores que todo o resto do país. Mas ok, são sensuais. Então, look! Daí eu trouxe uma make up e tal… dei um tapa na sobrancelha porque a Clozinha só tinha horário amanha. Você marcou com ela?

Joana:  Maaano, temos esse issue: SOBRANCELHA! Continuo com aquela questão da cola prit. Que passaram aqui no meu rosto e depois jogaram os pelos. Sério!!! Não sei nem como arrumar sozinha, tipo, não tem linha mestre pra seguir!

Roberta:  HAHAHAHAHAHA ah velho, dá um jeito nisso aí, maior terapia tirar as sobran. Eu te arrumo, vem com a mamy!

Joana: Mas que horas, mano? Temos dates!

Roberta:  Quem sabe a gente não se encontra hoje nessa night paulixta com nossos cariocas sensuais? Daí dou um tapa na tua taturana do Brisola no banheiro.

Joana:  Ahahahaha ia ser ótimo! Maaaano!! Pera!! Acho que meu carinha conhece o seu!! O Thi não conhecia, mas acho que esse conhece.

Roberta:  Ah mentiraaaaaa!! Awesoomeee!!

Joana:  Eu não lembro direito, mas checo com ele hoje a noite.

Roberta:  Olha aí que puta boa noticia pra um double date carioquês.

Joana: Olha só!

Roberta:  Ai, pera ai meu. Tenho reuniao com a (empresa X). Cu de “empresa x”.

Joana:  Aaiii eu odeio as minas da “empresa x”.

Roberta: E eu tetesto essas empresas de conteúdo.

Joana:  Elas são muito feias.

Roberta:  O que você faz? Conteúdo! Ah, meu cu, todo mundo faz conteúdo.

Joana:  Ahahahahaha.

Roberta:  É só falar que já se produz um conteúdo.

Joana:  Ahahahaah você enquanto broguera faz conteúdo.

Roberta: Exato. Qualquer imbecil faz conteúdo. E eu não gosto desse nome, “empresa X.”

Joana: Ah, acho bem bom sabia?

Roberta:  Ta ta ta, eh bom. Mas tô com bode. Me marca uma reunião no dia do date. Tô toda cagada aqui, me espremendo as espinha tudo de nervoso, roendo as unhas. Prefiro até uma cistite do que essa reunião.

Joana:  Ahahahahhahahahahahahahahaahahahhaah. Ok, justo o motivo do bode

Roberta:  Oh céus, oh vida! Vou pegar meu saco do papai do noel aqui e ir lá aguentar esse baixo astral. Já volto!

Joana:  E eu que não paro de tomar chá de hibisco e fazer xixi? Tô pensando em ir com meu note pro banheiro! Pega mal? Não termino um email! Tenha dó!

Roberta:  HAHAHAHAHAHAHA. Tchau amiga, te ligo depois. Beijos

Joana: Beijos