Intimidade é uma merda.

21 out

                                                     Imagem

 

E é mesmo. Já dizia um grande amigo meu: Dê dinheiro a uma pessoa, mas não dê intimidade. Sábias palavras. Porque quando se tem intimidade demais, tudo muda, tudo se potencializa, parece uma outra relação, um mundo paralelo, é tão curioso.

Eu particularmente me torno íntima das pessoas bem rápido. Acho que por não ser nada tímida e por falar umas besteiras logo de cara, rola uma identificação, uma empatia e daí é um pulo pra intimidade. Minhas amigas vivem reclamando disso, eu mal conheço uma pessoa e já tô lá, íntima de Oliveira. Conheço um cara legal, um futuro prospect e quando elas veem estamos melhores amigos, já dando tapa um no outro. Conheço a namorada do meu ex e quando devia odiá-la, já estamos best friends conversando há horas. Sei lá, eu sou dessas, não tem muita explicação. Eu tenho a maior facilidade em dizer pra uma amiga que ela está chata, pesando na de alguém, ou que ela está exagerando na autoestima. Tenho abertura pra falar sobre assuntos delicados e sobre os mais íntimos medos das pessoas. Isso é liberdade, isso é conhecer a pessoa muito bem, isso é intimidade.

Mas existe uma intimidade que me assombra. A intimidade de casais. Acho que meu maior medo em todos os meus relacionamentos foi o de exagerar na intimidade, o de perder o encanto depois de anos. Não porque eu me liberte tanto assim, e seja dessas de arrotar na cara do namorado, isso jamais. Mas tenho medo pelo que eu vejo por aí. Dependendo do grau de intimidade, tem mulheres que param de se cuidar, que atrasam a depilação, param de usar brinco (juro que ouvi uma história dessas!), deixam de se maquiar. Tem caras que não usam mais perfume, deixam a barba daquele jeito esquisito, vão ao banheiro de porta aberta (isso me mata do coração) e por não se cuidarem acabam indiretamente pedindo para que a mulher também deixe de se cuidar. Isso me assusta porque eu não consigo ver como um amor (por maior e mais profundo que seja), suporte isso.

Amor, na minha opinião, antes de qualquer coisa é respeito e admiração e eu juro que se a intimidade for tão fora do normal minha admiração vai diminuir pelo dito cujo. É natural. Não porque eu sou louca, mas pelo simples fato do mistério acabar, da surpresa desaparecer, de surpreender não ser mais tão comum. É diferente você se arrumar para uma superfesta no mesmo banheiro que seu parceiro de você aparecer simplesmente deslumbrante e pronta. É obvio que você não vai acordar penteada e de rímel, mas a depilação em dia, unha feita é tipo o mínimo né? Fazendo aqui uma metáfora bem óbvia, pra se ter uma planta linda é preciso antes de qualquer coisa cuidar da semente (que é o início de qualquer coisa) e daí passar a regar sempre para manter a beleza dela. Isso é a manutenção.

Algumas intimidades me assombram tanto que tenho medo de casar. De verdade! Confesso, deve ser o máximo transar terça de manhã e tal. Mas e acordar todo santo dia toda amassada, com cabelo de louca e cara lavada? Não pode ser muito animador isso pro moçoilo né? Fora ir dormir… como faz? Eu durmo toda errada, com pijama cafona, de coque, bepantol na boca, creme fedido no rosto e nebacetin onde dá, porque tudo na minha mente se cura com nebacetin, não? Eu praticamente grudo na cama de tanta nhaca, não deve ser legal dormir comigo.

Não tenho a menor dúvida que intimidade e familiaridade acabam por trazer segurança, mas acho que ao mesmo tempo descarta o entusiasmo e a emoção do inesperado. Alguns casais ou até amigos, que já se relacionam há muitos anos têm tendência a dar muito valor para o que sabem um do outro. E eu acho isso de verdade fascinante. A gente até faz previsão do que a outra pessoa vai pensar ou fazer, a gente adivinha o que está por vir, justamente por conhecê-la tão bem. Mas quando se trata de casais, acho uma área delicada a da intimidade. Eu acredito muito que o romance o erotismo gostam do mistério, do imprevisível, da surpresa. Seria quase impossível desejar algo já tão previsível, não é? Acredito que o grande trunfo para que o desejo não diminua ou termine, é o mistério, não tem jeito. É a novidade, a insegurança boa, a incerteza e até o medo. Então o que prego e espero pra todos nós é: Mais amor por favor e menos intimidade por gentileza. E sem xixi de porta aberta, pelo amor.

Anúncios

20 Respostas to “Intimidade é uma merda.”

  1. Camila Ferraz 21/10/2013 às 15:10 #

    Texto perfeito!!! Mega me identifiquei… “Mais amor por favor e menos intimidade por gentileza. E sem xixi de porta aberta, pelo amor.”

    • Gabriela Marques 21/10/2013 às 18:24 #

      Oi Camila;
      Muito obrigada pelo elogio.
      Sim, pelo amor! Hahaha.
      Beijos

  2. Clarissa Brunholo 21/10/2013 às 16:35 #

    Eu acho isso tudo muito bullshit. Quando vc está a aaaaaanos e anos com alguém, não espere que jamais vá sair um arroto na frente da pessoa, ou que quando vc quiser soltar um pum, vai dar tempo de ir correndo pra outro lugar. Usar banheiro de porta aberta ou passar gilete na perna na frente do namorado ou usar aquele moletom velho e esquisito, mas que vc ama vestir nos dias de frio, não é o que faz o relacionamento ter problemas ou o amor perder o brilho. Intimidade é inevitável e não é ela que faz o com que o amor vá minguar. Eu li esses dias uma frase incrível e que representa a realidade muito bem: “Não é o amor que sustenta os relacionamentos. É o modo de se relacionar que sustenta o amor.”
    Se a gente tem filho, limpa a caquinha dele desde o primeiro dia fora da barriga. Seja quando está insuportavelmente fedorenta e mesmo assim ama aquela criatura com toda a alma. Ele cresce e vc continua lá na intimidade dele. Dá banho, limpa o bumbum até ele aprender a fazer sozinho, compartilha todos os segundos da intimidade. Nem por isso o amor, o afeto e a vontade de estar ao lado vai embora.
    Não é porque com seu marido há sexo que seu amor tem que ser abalado por um momento que ele fez xixi de porta aberta. Quando você abraça e beija seu namorado, a última coisa que precisa vir à sua memoria é isso. Porque deve haver tantas outras coisas encantadoras nele pra reparar, pra lembrar. Alguém que se afeta com esse tipo de situação é superficial demais e ainda tem muito o que aprender até pensar em ter um relacionamento de muitos anos. Que dirá, dividir uma casa.
    OBS: não sou mãe e nem sou casada…mas já vivi o suficiente pra ter uma opinião dessas.

    • Gabriela Marques 21/10/2013 às 18:24 #

      Olá Clarissa, na realidade eu concordo com você. Não que meu texto seja bullshit, mas que algumas necessidades fisiológicas, acabam sim escapando na frente do outro. As vezes não tem como mesmo e acaba se tornando até divertido. A questão que sugiro é tentar ao máximo deixar isso como “acidente” e não como hábito, para preservar o relacionamento e o mistério que comentei.

      Quanto ao moletom velho, sou a primeira a vestir na frente de um namorado ou de quem quer que seja, como eu também disse no texto, ninguém precisa ser impecável o tempo todo e o amor, e admiração vão bem além de uma roupa furada ou cheia de bolinhas.
      Seus exemplos de amor materno na minha opinião são um pouco distantes de qualquer outro amor. Também não sou mãe, e nem casada, mas sei que o amor de uma mãe por um filho transcede qualquer coisa a ponto de que essas intimidades citadas sejam ínfimas perante todo o resto.
      Enfim, pode ser que eu ainda não esteja preparada realmente para ter um relacionamento tão íntimo, mas que fique claro, que o que coloco no texto são apenas impressões, opiniões e sugestões, e não necessariamente o que eu deixo de fazer e portanto não é uma crítica.
      Obrigada pelo comentário e por ter lido o texto.
      Beijos

  3. Mini Oscar. 21/10/2013 às 17:20 #

    Um Brinde ao Nebacetin! #TJ beijoooo! =))

    • Gabriela Marques 21/10/2013 às 18:25 #

      Cheers!!! Cura tudo, acho que deve curar até ressaca!
      Hahaha, beijos Mini.

  4. Amiga 21/10/2013 às 17:47 #

    Cara, Gabriela, li seu texto e achei muito interessante. As coisas que você colocou ali acontecem realmente, mas vejo de um ângulo TOTALMENTE oposto.
    A intimidade é maravilhosa! Estou com meu marido há 10 anos (2,5 de casada) e, a cada dia que passa, nossa relação fica melhor. Ao contrário do que você escreveu, conhecer intimamente a pessoa ajuda a escolher que tipo de “mistério” você vai usar para deixar ela ainda mais fascinada e, ao mesmo tempo, te dá a segurança de um dia (de TPM, por exemplo) ficar toda amassada e ter a certeza de que ele te ama mesmo assim.
    Construir essa relação, essa intimidade e, como consequência uma cumplicidade, dá uma força muito grande aos dois! Com isso, a vaidade não vai embora, muito pelo contrário, ela vem com tudo! Você quer ficar cada dia mais bonita, mais atraente, charmosa… a felicidade contribui para isso.
    Acredite em mim, Gabriela, se você cuidar do relacionamento, a intimidade vai te fazer muito feliz!

    • Gabriela Marques 31/10/2013 às 12:04 #

      Olá, tudo bem?

      Obrigada pelo comentário! Gostei muito do que escreveu.
      Eu realmente nunca morei com alguém apesar de já ter tido relacionamentos longos, então pode ser que irei me surpreender bastante quando isso acontecer. Eu entendo seu ponto e na realidade concordo com muita coisa.
      Acho que o ponto principal do texto, e que talvez não tenha ficado claro para algumas pessoas é minha opinião sobre o “exagero” da intimidade que eu acho que fazem o relacionamento se perder com o tempo. Mas também acho que alguns tipos de intimidade e rotina, trazem ainda mais encanto e doçura para um relacionamento.
      Espero ter um relacionamento parecido com o seu no futuro! :)
      Beijos

  5. JC 21/10/2013 às 18:07 #

    Gabriela, gosto muito dos seus textos e sei que eles expressam uma opinião pessoal. Mas sinceramente, lendo o que você escreveu, tive a sensação de que você não sabe do que está falando, justamente por talvez não ter tido a experiência de morar com outra pessoa. É uma utopia achar que terá sua “intimidade” preservada quando dividir o mesmo teto com alguém. E isso não é ruim …. quando você encontrar “a pessoa” entenderá que ter total liberdade com ela, é a melhor coisa do mundo. Claro, que temos que respeitar os limites do outro, manter a boa educação – vc não deve arrotar na frente de NINGUÉM – mas certas coisas, como dormir toda melecada de creme, passa a ser algo natural quando você tem uma pessoal ao seu lado, que aceita você como é …. e vai por mim, isso não acaba com o romantismo, mas estreita ainda mais a sua relação.

    • Gabriela Marques 31/10/2013 às 11:56 #

      Olá, tudo bem?
      Obrigada pelo elogio aos textos e pelo comentário.
      De fato, pode ser que minha opinião nesse caso, seja por nunca ter tido essa experiência. Mas eu não disse que a intimidade é totalmente preservada ao morar com alguém, é impossível. O que eu tenho “medo” ou alego que tentarei fazer é tentar manter o máximo possível dessa intimidade de forma que não atrapalhe meu relacionamento e que ele não perca a ternura com o passar dos anos.
      Até acredito que administrar essa intimidade seja até chave para um relacionamento feliz, mas eu não vou condicionar tudo a isso. Eu apenas relatei alguns medos pessoais, mas que eu já tive que lidar muitas vezes mesmo nunca tendo morado com alguém.
      Concordo com o respeito aos limites e educação, isso sempre.
      Beijos

  6. Mari G 21/10/2013 às 20:20 #

    Oi Gaby,
    Gosto muito dos seus textos e geralmente me identifico bastante, mas hj não consegui concordar com o que vc escreveu.
    Não sei se vc já teve algum relacionamento longo e saudável, mas me parece que seus pensamentos estão bem desconexos com a realidade de um.
    Concordo quanto ao que vc diz a respeito da depilação em dia, do xixi de porta aberta e etc, agora existem coisas que são inevitaveis em um relacionamento maduro à dois.
    Ao se casar vc vai acabar se arrumando pra uma festa ao lado do seu marido, vai acordar todos os dias descabelada, sem maquiagem e com mau halito. Desculpa, mas essa é uma realidade e não é necessariamente ruim. É uma questão que envolve maturidade de ambas as partes. Um relacionamento no começo tem seus encantos, mas se aquela relação for realmente saudável ela um dia vai evoluir e vai acabar culminando em muito amor e muita intimidade. Como eu disse, não é questão de perder o encanto e sim de amadurecer e saber que um relacionamento ao estilo “felizes para sempre” é feito de fases, e cada uma delas tem sua beleza. Tenho certeza que um dia vc vai encontrar um amor assim e vai mudar de opinião, não quanto aos itens básicos e saudáveis como a depilação, mas quanto à essa sua visão ruim da intimidade e seu medo de perder o “mistério”. É impossível manter mistério em um relacionamento de 5 anos e morando juntos, mas vc vai ver que existem outras coisas tão boas e que te irão de fazer vibrar tanto quanto o encanto do início do relacionamento, como o companheirismo e o amor verdadeiro!

    Beijos

    • Gabriela Marques 31/10/2013 às 11:48 #

      Oi Mari, tudo bem?

      Obrigada pelo comentário! Eu realmente nunca morei com alguém apesar de já ter tido relacionamentos longos, então pode ser que irei me surpreender bastante quando isso acontecer. Eu entendo seu ponto e na realidade concordo com muita coisa, por exemplo que quando eu me casar, vou acabar me arrumando pra uma festa ao lado do marido, acordarei todos os dias descabelada, sem maquiagem e com mau halito e essas coisas. E isso tudo eu comentei no texto que é natural e que é inevitável. Apesar de eu ter um pouco de medo de quando isso acontecer como rotina, mas já passei por tudo isso mesmo sem morar com alguém.
      Acho que o ponto principal do texto, e que talvez não tenha ficado claro para algumas pessoas é minha opinião sobre o “exagero” da intimidade que na minha opinião fazem o relacionamento se perder com o tempo. Mas também acho que alguns tipos de intimidade e rotina, trazem ainda mais encanto e doçura para um relacionamento.
      E daí a maturidade desse relacionamento vem disso. Espero estar certa ;)
      Beijos

  7. Fatima Marques 22/10/2013 às 12:22 #

    Respeito as opiniões sobre o texto de minha filha, mas acho que ela sabe exatamente do que esta falando, pois vivência diariamente o casamento de seus pais , casamento esse de 36 anos, pautado em amor, respeito,companheirismo,tolerãncia,abnegação, e intimidades ,que nem sempre são possíveis não compartilhar.

    Claro e obvio que não se consiguirá manter por tantos anos assim, privacidade e intimidade total, já que se optou por uma vida compartilhada com marido e filhos, caso contrario se optaria por uma vida sem ter que dividir,amor, compreensão, paciência , privacidade e espaços.Mas acho extreamente saudavel e respeitoso com seu companheiro que nos esforçemos bastante para que sempre que possivel manter nossa privacidade , para que noss companheiro ainda se surpreenda e que seu coração bata meio descompassado ao nos ver bonitas, cheirosas, penteadas e com um sorriso generoso nos lábios, querendo que ele saiba que vc fez tudo isso pra ele ,pra família e principalmente pra si própria .

    Acho que seria generoso e tão pouco uma demosntraçáo de amor e respeito ,fazer com q o seu companheiro tenha que lhe ver todos os dias, de chinelo,moletom (mesmo que seja super confortável para vc),descabelada,e sem nenhuma basezinha para esconder uma olheira, uma noite mal dormida, ou as rugas que se instalaram em seu rosto depois de tantos anos. Não ter preguiça de ficar bonita e ter um pouquinho mais de trabalho e manter sua intimidade, é um ato de amor e não ao contrario.

    • Gabriela Marques 31/10/2013 às 12:07 #

      Mamy;
      Você fez praticamente um novo post no seu comentário, amei!!
      Concordo com tudo o que você disse e com certeza todas essas minhas opiniões são por conviver diariamente com você e o papai e por admirar tanto o relacionamento de vocês e as particularidades de cada um.
      Te amo. Beijos

  8. Elurdiane Andrade 22/10/2013 às 15:06 #

    Gabriela, me identifiquei não só com o texto do post mas também com a resposta dada à Clarissa.
    Quando eu me casar vou fazer o máximo para evitar esse tipo de coisa,que além de tirar o encanto algumas vezes vira falta de respeito.
    :D
    Bjos

    • Gabriela Marques 31/10/2013 às 11:49 #

      Olá Elurdiane;
      Obrigada pelo comentário! Fico feliz que tenha se identificado!
      Eu também vou tentar fazer isso quando me casar! Espero que funcione! Hehe.
      Beijos

  9. Érica 22/10/2013 às 23:33 #

    Oi Gabriela. Primeira vez que escrevo aqui, apesar de já ter lido todos os seus textos (e adorado todos, vc é genial, parabénss!).
    Senti a necessidade de comentar esse texto porque quando o li, super me identifiquei, do início ao final; e ao ler os comentários, percebi que deveria dar a minha opinião.
    Primeiro que achei um absurdo uma leitora comparar a intimidade com o parceiro e a intimidade com um filho (sem comentários).
    E não faz sentido dizer que “alguém que se afeta com esse tipo de situação é superficial demais e ainda tem muito o que aprender até pensar em ter um relacionamento de muitos anos. Quem dirá, dividir uma casa.”.
    Fiquei muuuito indignada, ahuahuaha. Eu estou namorando há 3 anos e meio, e todas as vezes que vou me encontrar com o meu namorado, ou ele vem em casa, eu não fico do jeito que fico normalmente em um um domingo de tarde. Não estou dizendo que eu passe rímel, blush, coloque um salto e faça uma super escova no cabelo; Mas eu coloco uma roupa confortável, mas bonita; Se estou com muita olheira ou uma espinha, passo um corretivo; Sempre passo um perfume, e com certeza estou sempre depilada. E assim como você, para dormir encho meu rosto de cremes, no caso, bepantol, e coloco meu pijamão furado e minha meia velha. Mas acontece que, quando for me casar, usarei um pijama confortável, sem duvida, mas bonito, e como obviamente não irei dormir de bepantol na cara, já combinei com meu futuro marido em uma vez por semana fazer com ele um “spa”, onde nós 2 vamos dormir todos brancos de creme e acordar com a pele linda (se é um relacionamento com amizade e companheirismo, com certeza o parceiro vai aceitar, e vai ser um dia da semana diferente e divertido).
    Acredito sim em relacionamentos de anos e anos e cada um com sua privacidade, sua intimidade. Todos fazendo suas necessidade de portas fechadas, e depois colocar um perfuminho no banheiro; depilações e unhas sempre em dia; cabelo bem cortado e roupas adequadas.
    Exemplo da minha mãe, que possui 28 anos de casada, e está sempre “em ordem”. Já muitas conhecidas se casaram e deixaram de ser vaidosas, não souberam preservar sua intimidade, dormiam com a cara verde, o pijama do marido, e o cabelo com grampos diariamente, e hoje estão divorciadas, pq o marido cansou daquilo tudo e viu fora de casa o que nao tinha na sua casa, pq a mulher que ele conheceu já não existia mais, nao tinha mais cuidados. E é muita hipocrisia falar que com o tempo isso estreita a relação. O que estreita a relação é o companheirismo, a cumplicidade, a confiança.
    Muitas vão pensar que meu texto foi machista, ou que sou superficial. Mas não, sou uma pessoa que acredita que encontrou a pessoas certa, e que quer cultivar esse amor, o carinho e a profunda admiração que conquistei pelo parceiro.
    Não acredito que um bom relacionamento aguenta a pessoas que não se cuidam. Isso é respeito pelo outro, e por si própria.

    Beijos Gabriela, apesar de não te conhecer pessoalmente, só pelos seus textos consigo admirar muito você.

    • Gabriela Marques 31/10/2013 às 12:16 #

      Oi Erica, tudo bem?
      Muito obrigada pelos elogios. Fiquei muito feliz com o que disse e por ter lido todos os textos!
      Eu também fico meio indignada com algumas coisas que leio por aqui, mas entendo. afinal cada um tem sua opinião né? Assim como nos relacionamentos, se os comentários aqui forem educados e com respeito, ta tudo bem! Hehehe.
      Eu concordo com você em tudo o que falou. Acho que mais do que qualquer coisa é questão de educação e higiene você preservar certas coisas. Além de algumas vaidades que eu pretendo nunca deixar de ter, mesmo estando casada há muitos e muitos anos e bem velhinha.
      Obrigada pelo seu tempo em escrever coisas tão legais. De maneira nenhuma você foi machista ou superficial, eu concordo 100% com você em tudo. E volte sempre aqui viu?
      Beijo enorme

  10. Melissa 24/10/2013 às 23:48 #

    Seus textos são sempre incríveis. Eu sou casada a um ano, e quando eu era noiva eu fazia uma lista das coisas que a gente, meu noivo e eu, não podia deixar de fazer nunca. Tipo, comemorar todos os aniversários de casamento, dia dos namorados, páscoa etc. Nunca ir dormir brigados, nunca deixar de escrever ou falar o que sente, etc. Acho muito importante o casal continuar fazendo tudo que fazia quando eram namorados, ou pelo menos tudo que for possível. Enfim, a intimidade é ineitável mas deve ser bem administrada para que o casal não comece a achar que, dizer que ama, cuidar da aparência etc, seja besteira.
    :D

    • Gabriela Marques 31/10/2013 às 11:50 #

      Oi Melissa, tudo bem?
      Obrigada pelos elogios! Adorei!
      Achei muito interessante sua lista (vou fazer uma igual! hahaha) e eu concordo co tudo o que disse. É isso mesmo!
      Beijos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: