Felicidade. Onde vive? Do que se alimenta? Como encontrá-la?

23 mar

large (3)

Sou dessas que sonha, viaja e pensa muito, em tudo. Vivo me questionando e tentando entender as coisas de algum jeito.  E daí o tempo todo, vira e mexe me pego pensando sobre a tal felicidade. Mas me refiro a real felicidade, não essa que a gente vê nas redes sociais ou em sorrisos maquiados. A felicidade de verdade mesmo. Aquela que o dicionário diz ser “um estado durável de plenitude, satisfação e equilíbrio físico e psíquico, em que o sofrimento e a inquietude são transformados em emoções ou sentimentos que vão desde o contentamento até a alegria intensa ou júbilo.” O que pra mim se resume no simples fato de se sentir em paz e de maneira completa com algo ou alguém. Ou os dois (melhor ainda!).

Acho que mesmo sendo o nosso maior motivador e “aquilo que seguimos a vida toda buscando” a felicidade deveria ser algo simples, de fácil acesso. E ela até é, a não ser que você só considere felicidade ter uma ilha paradisíaca, viajar 11 vezes ao ano pra fora do país, ser casada com o Adam Levine, ter todos os carros de luxo e o closet da Kim Kardashian. Daí a felicidade fica bem complicada de achar mesmo.

Eu também acho que a felicidade está diretamente relacionada com tantas outras coisas que às vezes fica difícil mesmo interpretar se aquela sensação é realmente felicidade ou apenas um momento feliz, ou um pico de boas sensações. Por isso eu acho que felicidade está diretamente ligada à 3 coisas: a maneira de enxergar a vida, ao espaço e ao tempo.

Me explico. A maneira que você enxerga a vida é certamente a melhor forma de analisar a felicidade. Menos drama = mais felicidade. Simples assim. Se você consegue ver o melhor das coisas, a melhor parte das pessoas e os ensinamentos que a vida traz mesmo nos piores dias, você é invariavelmente mais feliz.

Sobre o espaço, certa vez eu li sobre um preceito zen que diz que precisamos colocar espaço entre uma coisa e outra e assim somos mais felizes. Acredito totalmente nisso. Espaço físico, por exemplo. Tenho semi-pânico desses projetos arquitetônicos que se gabam de tornar minúsculos cubículos “funcionais”. Acredito no espaço temporal, também. Colocar uma folga, um período de meses entre os acontecimentos. Pra analisar, pra agradecer, pra sentir que valeu, pra sentir falta, qualquer coisa. Esse espaço é necessário. Espaço entre as pessoas me parece um bem necessário também. Espaço entre o trabalho e o outro trabalho. Entre o trabalho e o lazer. Espaço pra você, pro seu companheiro, espaço de vocês dois juntos e espaço separado.  Na arte o espaço faz sentido também. Veja que no cinema, a função dos créditos e dos trailers é justamente colocar um espaço entre a ficção e a realidade. Espaço bem dado e bem utilizado pra mim é sinônimo de felicidade.

E por fim, o tempo. Aquele que já citei aqui como o maior e principal “resolvedor” de tudo. Porque ele nos faz enxergar tudo de maneira mais clara, porque ele faz curar toda e qualquer dor, e porque ele faz a gente perceber todos os dias como ele passa rápido e como devemos agradecer por termos mais dele na vida. Mais dele com quem a gente ama, mais dele fazendo o que a gente gosta, mais dele sendo feliz e buscando a felicidade.

E com tudo que passei, que evitei, que passo e que corro atrás, eu acho que encontrei essa tal felicidade. Sou feliz 100% do tempo? Não. Procuro ser e fazer feliz as pessoas que amo e me importo? Sim. Acho que dei mais sorte na vida que os outros? Não. Sou feliz no meu trabalho? Na maior parte do tempo. Tudo dá certo e meu mundo é cor de rosa? Não. Faço o que gosto? Sim. Consigo fazer tudo o que queria? Não. Sou feliz todos os dias? Sim. Faz as contas, o saldo tem que estar bem positivo pra tal felicidade. Se não estiver tem alguma coisa muito errada aí…

Anúncios

7 Respostas to “Felicidade. Onde vive? Do que se alimenta? Como encontrá-la?”

  1. priscila 28/03/2015 às 09:44 #

    Amei esse post por 3 motivos: pq ele é um texto gostoso de ler – na correria do dia-a-dia deixei ele guardadinho pra ler no sábado de manha, momento auge de paz, tranquilidade e portanto felicidade da semana pra mim =) – pq eu adorei o conteúdo – concordo em genero, número e grau – e pq eu amei saber que vc esta F E L I Z. Haja o problema que houver (e sempre vai haver), o importante no fim é ser feliz!!! Love you.

    • Gabriela Marques 27/04/2015 às 10:36 #

      Amor da minha vida!
      Que delicia de comentário.
      É isso mesmo, o importante é ser feliz e vc perto de mim me faz mais feliz ainda.
      Love you too. Pra sempre.
      Beijos

  2. Gabriella Levorin 07/05/2015 às 14:20 #

    Texto ótimo e leve! Muito melhor do que textos filosóficos sobre uma geração de descontentes que vivem reclamando… parabéns!

    • Gabriela Marques 29/05/2015 às 16:29 #

      Oi Gabriella,
      Adorei!! A ideia é não filosofar muito mesmo… fica mais facil quando vamos direto ao ponto de maneira simples e clara ne?
      Volte sempre aqui.
      Beijão

    • Gabriela Marques 20/08/2015 às 21:00 #

      Oi Gabriela.
      Obrigada pelas palavras!!
      Beijo grande

  3. Nick 11/05/2015 às 10:05 #

    Descobri seu Blog hoje! E achei muito bacana seu texto. Parabéns, seguirei sempre! =D

    • Gabriela Marques 29/05/2015 às 16:30 #

      Oi Nick;
      Que bom que descobriu, espero que goste dos outros textos também.
      Obrigada pelas palavras!
      Um beijão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: