Archive | maio, 2015

Meu pior talento: cozinhar.

18 maio

db3460a5c51912fed5ed16eac0ad9c52

Olá prazer, meu nome é Gabriela, tenho 30 anos e não sei fritar um ovo. É sério, não é maneira de dizer.

O ser humano vem com muitos talentos e aptidões desde o dia que nasce. Alguns são desenvolvidos e trabalhados com o tempo, outros estão no DNA mesmo. Outros não adianta, não acontecem. Eu vim com algumas características e talentos de infância. Quando era criança desenhava super bem. Isso se perdeu não sei como, hoje em dia não sei nem fazer uma casa de pauzinhos. Mas ok, acontece. Dançava relativamente ok para uma criança de grande estatura. Confesso que não foquei muito nisso depois que resolvi jogar basquete. Tocava piano super bem e arrasava no teatro. Nunca mais pratiquei, mas se me jogar num palco, eu me viro. Sempre escrevi muito bem também e acho que isso se manteve com a prática. A vida toda tive facilidade em aprender línguas, decorar músicas, falar em público. Enfim, não posso dizer que sou totalmente desprovida de talentos. Mas se tem algo nessa vida que eu definitivamente NÃO sei fazer é cozinhar.

Meu Deuuss como uma pessoa pode ser tão ruim nisso? Ok, tem coisas que a gente é ruim. Sei lá, não sou muito boa em futebol, mas eu sei chutar a bola, por exemplo. Não sei cantar, tenho voz de traveco, mas ok também, sempre me virei no karaokê. Agora, não me deixe cozinhar. É a maior atrocidade que uma pessoa pode cometer é depender de mim para uma refeição. Eu nunca vi alguém tão ruim numa tarefa como sou pra isso. Acho que até em colocar ração pra minha cachorra eu devo ser ruim. A ração vai ruim, sei lá. Pra ficar um pouco claro, eu deixo queimar pães de queijo (que é só colocar as bolinhas no forno). Eu também já queimei pipoca de micro-ondas, que é só colocar o saquinho e apertar “pipoca”. Muito difícil e pouco intuitivo. Meus miojos empapam 100% das vezes. Os poucos bolos que fiz na vida, nunca cresceram, ou queimaram, ou ficaram tão ruins que até minha mãe disse que estavam ruins. E mãe é mãe né, nunca acha nada ruim. Eu fritei um ovo outro dia, o que aconteceu foi que a clara grudou na panela, nunca mais saiu e a gema ficou crua, nojenta. Aliás eu tenho bastante dificuldade em quebrar ovo, sempre cai um pedaço da casca junto com o resto no lugar que eu jogo. Outra coisa que me boicota é o meu George Forman, sempre meu tostex sai estranho, ou queimado ou com o queijo branco frio. Não entendo.

Fora que eu sou uma completa imbecil pra esse assunto. Nunca entendo nada nos cardápios, não gosto da metade do que leio e meu sonho é abraçar o garçom e falar “pelo amor de Deus faz um macarrão alho e óleo pra mim, eu imploro”. Eu não sabia por exemplo que o azeite poderia ser trufado, imaginava uma trufa da Koppenhagen no meio da salada e me dava enjoo. Achava que Kani era um vegetal, tinha certeza disso. Até pelo aspecto que vem no temaki, vem em tirinhas como o pepino. Pepino vegetal, Kani idem. Era meu pensamento. Eu não tenho a menor ideia dos tipos de corte de carne, até porque não como nenhuma. Não lido bem com peixe quando ele vem com rosto e rabo. Fico imaginando que ele vai se mexer, piscar, sei lá, me dá pesadelo. Até poucos anos atrás eu falava azeite balsâmico e mussarela de bufalO, veja só que conhecedora de alimentos.

Já me disseram que isso melhora com o tempo e com prática. Duvido. E dizem também que é porque eu não gosto, por isso tudo sai ruim. Não é que não gosto, eu odeio. Odeio o calor do forno, começo a suar só de ligar. Odeio a textura dos alimentos e animais mortos. Tenho toc e não consigo ver aquela bagunça na cozinha. Morro de fome durante o procedimento e vou comendo tudo que tem ao redor. Não sinto prazer mesmo, então acho sempre que o tempo despendido com essa atividade precisa ser otimizado. Coloco o macarrão na agua e vou logo tratar de secar o cabelo, pagar uma conta, dar uma olhadinha na vida alheia no face. resultado: o penne vira um bloco unido pra eternidade.

Outra coisa, livros de receita são muito cruéis para pessoas com meu perfil.A receita começa com refogue tal coisa… UNTE panela. Mas será que ninguém pode começar do começo? O que significa isso  de refogar? E claras em neve então? Tá de brincadeira? Eu queria muito que alguém criasse o guia: cozinha para débeis.

Outro dia quis fazer queijo brie no micro-ondas. Pensei que como seria só uma aquecidinha, 2 minutos me parecia de bom tom. Mas o que aconteceu foi que eu revivi as aulas de ciências da escola! O queijo SUBLIMOU. Sério! Lembra quando uma coisa parte do estado solido diretamente para virar vapor? Então, meu brie.

Não adianta, eu não levo jeito e jamais levarei. Mas tudo bem, eu lido com isso numa boa. É isso gente, não tenho vergonha em assumir que sou uma desgraça em cozinhar. Mas é que imagina se além de tudo eu ainda cozinhasse bem né? Não seria justo com as outras pessoas. Mentira, isso é só um jogo psicológico que eu faço comigo mesma pra aceitar essa deficiência. Mas acho que compenso sendo boa em algumas outras coisas. Sei lá, minha mãe diz que eu sou, pelo menos. Vou acreditar nela.